Carmelo da Sagrada Família (Monjas Carmelitas Descalças)

Atrativos Religiosos

Carmelo da Sagrada Família (Monjas Carmelitas Descalças)

Rua Adolfo Olinto, 522 - Centro, Pouso Alegre - MG, 37550-000

História

O Carmelo da Sagrada Família nasce de uma promessa: o seminarista Delfim Ribeiro Guedes, que fora enviado por seu Bispo, Dom Octávio Chagas de Miranda, para estudar em Roma, chegando lá, descobre que, por motivo de doença, não poderá ser aceito no Seminário. Foi então a Lisieux, e pediu a Santa Teresinha a graça da Ordenação Sacerdotal, prometendo trabalhar para a fundação de dois Carmelos. Voltando a Roma, foi aceito no seminário, e anos depois, ordenado Sacerdote. Já como Cônego, trabalhando em Pouso Alegre, decide pôr mãos à obra. 

Com um grupo de amigos, consegue uma casa que serviria para dar início ao Carmelo, os benfeitores desejavam que este fosse dedicado à Sagrada Família, e que as fundadoras viessem do Carmelo de Campinas. Em 1943 chegam a Pouso Alegre as quatro Irmãs vindas de lá, entre elas, a Madre Maria Imaculada – a Mãezinha -, como Priora. Contava então com 34 anos de idade, realizou a Consagração da Comunidade a Nossa Senhora, e elegeu-a como Priora perpétua do nascente Carmelo. 

Em 1954, inicia-se a construção do sonhado prédio regular, próprio para a vida carmelitana. Além disso, a casa provisória, antiga, ameaça desabar o telhado.  Finalmente em 29 de setembro de 1957 realizou-se a transladação das Irmãs para o novo Carmelo, com a participação de toda a cidade. Já em 1958, inicia-se a construção da Capela, o projeto foi feito pelo Dr. Benedito Calixto, o arquiteto do Santuário Nacional de Aparecida. A construção foi lenta, com algumas pausas para pagar dívidas e angariar meios para recomeçar, assim a Capela foi sagrada apenas em 1984.

O Carmelo é um lugar aonde quem chega encontra acolhimento e paz interior.

Curiosidades

  • O Carmelo foi construído sem que as Irmãs tivessem renda nenhuma: toda a despesa foi paga através de cartinhas enviadas por todo o Brasil, com o “Menino Jesus Esmoler” pedindo um tijolinho para sua casa e o trabalho de amigos e benfeitores.
  • Figura de destaque, e que acompanhou as Irmãs desde o Carmelo velho foi o “Vô Quinista”: Temistocles Chander, húngaro, que sabia fazer de tudo um pouco. Morava na construção e depois da mudança das Irmãs, na “garagem”, que ele chamava “seu céu”. Mãezinha chegou a construir-lhe uma casinha, mas ele se recusou a morar nela, dizendo que Jesus nasceu numa manjedoura...
  • O administrador da construção do Carmelo, o “Pai” Fernando de Oliveira Côrtes, abandonou seus negócios para cuidar desta obra. Narrava que a geada e pestes no gado atingiam as redondezas, mas sua fazenda era preservada!
  • Em 1963 houve um incêndio no pasto contíguo ao Carmelo, e o fogo ameaçava atingir os eucaliptos do mosteiro. Nesta época, não havia Corpo de Bombeiros na cidade. Mãezinha pediu que uma voluntária, que auxiliava na portaria, jogasse um Escapulário no fogo. Imediatamente o vento mudou de direção, e o Carmelo foi poupado.
  • A missão das Carmelitas é rezar pela Igreja e por toda a humanidade. Acolhem os pedidos de oração de todo tipo de pessoas.
  • No Carmelo existe uma bela Capela, o Memorial e Mausoléu da Mãezinha e uma loja de artigos religiosos, onde as Irmãs Carmelitas também vendem quitandas por elas produzidas.

Dados históricos

Fundação: 1943.

Contato

Contatos: 

(35) 3421-1103 / 3422-8998 – carmelo.pousoalegre@gmail.com

Responsável: 

Irmã Maria da Paz

Horário de funcionamento: 

Segunda a Sábado das 07h às 17h. Domingo das 08h às 13h.

Missas: 

Segunda a Sexta as 07h. Sábado as 07h e 17h. Domingo as 08h.

Pouso Alegre
(35) 3449-4150 / turismo@pousoalegre.mg.gov.br
© 2021 - Secretaria de Turismo de Pouso Alegre. Desenvolvido por Visualize Comunicação.